top of page

Polícia indicia médico em caso de mulher que morreu após procedimento cirúrgico em Parobé

Familiares da vítima alegam que vítima faleceu por ter tido uma gaze deixada dentro do corpo na cirurgia do parto

Foto: Redes Sociais - Divulgação

O médico obstetra responsável pelo parto da paciente que morreu cerca de dois meses após realizar uma cesariana no Hospital São Francisco de Assis, em Parobé, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).


Uma ultrassonografia realizada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Novo Hamburgo, nove dias antes da morte, apontou que havia gaze dentro do corpo da mulher. (Relembre abaixo)


O caso é de agosto deste ano. O inquérito policial chegou ao Ministério Público no final da quarta-feira (1º).


O Hospital São Francisco de Assis afirmou ao g1 que o obstetra não atua mais na instituição. O médico não teve o nome divulgado.


O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers) informou que o médico "está com registro regular junto à autarquia, podendo exercer atividade médica sem impedimentos".


O Cremers acrescentou que "não recebeu denúncia formal, mas diante das informações divulgadas pela imprensa, vai instaurar sindicância para investigar os fatos".


Caso o MP concorde com a conclusão da investigação policial, poderá oferecer denúncia à Justiça, que decide se o médico vira réu ou não no processo.


Fonte: G1 RS

0 comentário

תגובות


PUBLICIDADE PADRÃO.png

Destaques aqui no site!

Quem viu esse post, também viu esses!

bottom of page