top of page

Sangue encontrado na cama e no carro de namorado é da santiaguense desaparecida na Serra Gaúcha, diz perícia

Hellen Natália de Freitas Lopes, de 24 anos, está desaparecida há 4 meses em Bento Gonçalves

Foto: Redes Sociais

Após quatro meses, o desaparecimento da santiaguense Hellen Natália de Freitas Lopes, de 24 anos, segue sem solução definitiva.


Porém, uma nova prova pode acabar mudando está perspectiva: o resultado da perícia genética do Instituto Geral de Perícias (IGP) indicou que o sangue encontrado na cama e no carro do namorado era mesmo dela.


A investigação do caso é conduzida pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM).


A jovem foi vista pela última vez em 9 de dezembro de 2023, acompanhada de seu namorado e uma amiga em um posto de combustíveis, em Bento Gonçalves.


O companheiro de Hellen, que possui histórico de agressões contra ela, foi detido poucos dias após o desaparecimento da jovem e permanece preso preventivamente, embora não haja um prazo definido para sua detenção.


Em seu depoimento, o homem alegou não saber do paradeiro da namorada, mas suas declarações apresentaram inconsistências em relação às informações coletadas pela polícia.


Mesmo sem uma conclusão, o inquérito já foi enviado ao Ministério Público (MP). A perícia, com a técnica do luminol, revelou a presença de sangue na cama do casal e no veículo encontrado na casa do namorado, sendo constato pelo IGP que o DNA era de Hellen. As investigações continuam, sendo que nenhuma hipótese foi descartada pela polícia.


Enquanto isso, a família da jovem santiaguense continua sua busca por respostas, clamando por informações sobre o paradeiro dela.


Segundo a tia da desaparecida, Lidiane Pereira, a família enfrenta dificuldades para estabelecer contato com a delegada responsável e receber atualizações sobre o andamento do caso.


“Ela nos deve explicações”, enfatiza.

Ela também declarou que não acredita mais que a Hellen seja encontrada com vida.


Em resposta à reportagem do

Portal Leouve, Deise Salton Brancher Ruschel, da DEAM, afirmou que a família mantém contato com a polícia, porém não haveria novas informações disponíveis para divulgação.


“As diligências em andamento são sigilosas”, conclui a delegada.

Fonte: Portal Leouve


0 comentário

Comentarios

No se pudieron cargar los comentarios
Parece que hubo un problema técnico. Intenta volver a conectarte o actualiza la página.
PUBLICIDADE PADRÃO.png

Destaques aqui no site!

Quem viu esse post, também viu esses!

bottom of page