top of page

Santiago confirma o primeiro caso de dengue em 2024

O paciente tem 51 anos e retornou do Rio de Janeiro com os sintomas

A Secretaria da Saúde de Santiago confirmou o primeiro caso de dengue no ano 2024. Segundo informações da pasta, trata-se de um paciente de 51 anos que retornou de viagem da cidade do Rio de Janeiro (região endêmica) no último dia 24, com os sinais clássicos da doença, e ao ser atendido em Santiago, positivou.


Trata- se portanto de um caso importado de infecção que já se encontra em cura e sem sintomas.


O mesmo fora isolado pela equipe da Vigilância Sanitária, todas ações de bloqueio na sua região foram realizadas e seguem no monitoramento.


As equipes agora, com apoio da Defesa Civil e colaboradores, estiveram reunidos na manhã de hoje (06/02), para planejar a ampliação das ações de combate e prevenção ao mosquito, que poderá contar novamente com o Exército e demais instituições.


Todo sistema de saúde de Santiago está em alerta, pois o Estado está enfrentando uma epidemia de dengue nesse momento, inclusive já com morte confirmada.


DADOS SOBRE A DENGUE EM SANTIAGO


  • 1 positivo

  • 1 negativo

  • 4 aguardando resultado.


Endereço das Notificações


  • Centro

  • Santiago Pompeu

  • Lulu genro

  • Vila Rica


Estado registra segundo óbito por dengue em 2024


Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), vinculado à Secretaria da Saúde, (SES), confirmou nesta terça-feira (6/2), o segundo óbito por dengue no Rio Grande do Sul em 2024.


O caso é de um homem de 65 anos, residente em Santa Cruz do Sul. Com comorbidades, ocorrido no dia 1º.


A SES reforça que é importante as pessoas procurarem atendimento médico nos serviços de saúde assim que perceberem os primeiros sintomas. Dessa forma, é possível evitar o agravamento da doença e a possível evolução para o óbito.


Principais sintomas


  • Febre alta (39°C a 40°C), com duração de dois a sete dias; D

  • Dor retroorbital (atrás dos olhos);

  • Dor de cabeça;

  • Dor no corpo;

  • Dor nas articulações;

  • Mal-estar geral;

  • Náusea;

  • Vômito;

  • Diarreia;

  • Manchas vermelhas na pele, com ou sem coceira.


Prevenção


A população deve tomar medidas de prevenção à proliferação e à circulação do mosquito Aedes aegypti, limpando e revisando áreas internas e externas das residências ou apartamentos para eliminar toda água parada dentro de objetos.


Essa atitude simples impede o mosquito de nascer, cortando o ciclo de vida dela na fase aquática. O uso de repelente também é recomendado para maior proteção individual.


Situação epidemiológica


Em 2024, o Rio Grande do Sul já registra 5.163 casos confirmados da doença, sendo 2.305 autóctones, ou seja, quando o contágio aconteceu dentro do Estado.


Os demais casos são importados, o que significa que pessoas residentes no Estado foram infectadas em viagem a outro local. Em 2023, foram registrados mais de 34 mil casos autóctones de dengue e 54 óbitos.


*Com informações da Secretaria da Saúde RS



0 comentário

Comments


PUBLICIDADE PADRÃO.png

Destaques aqui no site!

Quem viu esse post, também viu esses!

bottom of page